Hipertiroidismo Felino – Diagnóstico e Tratamento

2399
Add

Diagnóstico

 

A avaliação dos sintomas descritos e um exame físico completo, são os primeiros passos para a avaliação do estado de saúde do seu gato. Muitas vezes, durante o exame físico é possível palpar uma glândula tiroide aumentada típica de hipertiroidismo.

 

O diagnóstico de hipertiroidismo é feito através de análises laboratoriais que avaliam a concentração da hormona tiroideia na corrente sanguínea. Devido ao excesso de produção de hormona tiroideia, em mais de 90% das situações é possível alcançar um diagnóstico preciso.

 

A maioria dos gatos com hipertiroidismo apresenta níveis elevados da hormona tiroideia na corrente sanguínea. Contudo, uma pequena percentagem de gatos com hipertiroidismo pode apresentar valores normais.

 

Em caso de suspeita forte de hipertiroidismo, e na ausência de valores aumentados da hormona tiroideia, o seu Médico Veterinário poderá recomendar testes adicionais.

 

Devido ao papel da glândula tiróide no organismo, alguns gatos com hipertiroidismo poderão desenvolver doença cardíaca e hipertensão. Desta forma, o seu Médico Veterinário poderá aconselhar que seja feita alguma investigação para despiste destas condições. Eventualmente poderão ser necessárias terapêuticas adicionais para controlar doenças secundárias.

 

Tratamento

 

O hipertiroidismo é uma condição tratável e, dependendo do tratamento realizado, pode ser curável.

 

As opções de tratamento para o hipertiroidismo incluem o recurso a medicação, terapia com iodo radioactivo, cirurgia ou recurso a uma dieta terapêutica. A escolha do tipo de tratamento não é simples. Todas as opções de tratamento têm as suas vantagens e desvantagens. A escolha requer a consideração de algumas particularidades como a saúde geral do paciente, as características dos procedimentos terapêuticos, a capacidade e disponibilidade do tutor administrar regularmente medicação e exige também algumas considerações financeiras.

 

Medicação

 

A administração de medicação anti-tiroideia é possivelmente uma das terapêuticas mais comuns no maneio do hipertiroidismo. A medicação actua através da redução da produção e libertação de hormona tiroideia a partir da glândula tiróide.

 

A administração da medicação anti-tiroidiea não promove a cura do hipertiroidismo. No entanto permite um bom controlo da doença e dos sinais clínicos a curto e a longo-prazo. Geralmente são obtidas boas taxas de resposta à medicação, com a facilidade de se poder medicar os pacientes sem necessidade de hospitalização.

 

O recurso à medicação anti-tiroideia advém sobretudo da facilidade em obter a medicação e do seu, geralmente, custo acessível. Contudo, o tratamento com medicação implica a sua administração diária, durante toda a vida do paciente.

 

Existem diferentes formulações, desde comprimidos a soluções orais. Dada a natureza dos felinos e das muitas dificuldades dos tutores em administrar comprimidos, as soluções orais poderão ser mais convenientes e permitir melhor compliance terapêutica.

 

Independentemente do tipo medicação utilizada, é necessário manter um controlo rigoroso dos níveis da hormona tiroideia durante o tratamento. Este controlo exige assim visitas regulares ao Médico Veterinário.

 

Terapia com iodo radioactivo

 

Quando se encontra disponível, a terapia com iodo radioactivo é o tratamento de eleição para gatos com hipertiroidismo. A administração de iodo radioactivo, destrói as células anormais da glândula tiróide, sem danificar os tecidos envolventes. Na maioria das vezes, trata-se de uma única administração e a maioria dos gatos tratados com iodo radioactivo atinge valores normais de hormona tiroideia após uma ou duas semanas do tratamento.

 

Esta modalidade de tratamento permite curar o hipertiroidismo felino, e geralmente não acarreta efeitos secundários graves nem necessita de anestesia. Envolve, contudo, o manuseamento e administração de um composto radioactivo e por isso apenas é permitida em instalações licenciadas para o efeito.

 

Infelizmente, até ao momento esta terapêutica não se encontra disponível em Portugal.

 

Animais tratados com iodo radioactivo têm de permanecer hospitalizados até que os níveis de radiação atinjam valores seguros. Geralmente, implica que o gato seja hospitalizado entre três a cinco dias, contudo o período poderá ser maior.

 

Cirurgia

 

A remoção cirúrgica das glândulas tiróides, denominada tiroidectomia, é uma cirurgia relativamente acessível e com boas taxas de sucesso. A cirurgia permite uma cura, na maioria dos casos, permanente, evitando assim a necessidade de medicação a longo prazo.

 

Dado tratar-se de um procedimento cirúrgico, requer hospitalização e uma anestesia geral. Por este motivo pode não ser favorável em pacientes idosos, com doenças cardíacas, renais, ou outras que possam apresentar um risco anestésico.

 

Nestes casos, a ou terapia com iodo radioactivo são tão eficazes no tratamento do hipertiroidismo como a cirurgia. Estas alternativas têm a vantagem de serem terapêuticas menos invasivas.

 

Dieta terapêutica

 

Existe também uma dieta especificamente formulada para gatos com hipertiroidismo, baseada numa restrição de iodo. A dieta poderá ser útil em gatos exclusivamente de interior e únicos na habitação. Este tipo de dieta estabiliza os níveis da hormona tiroideia antes de uma intervenção cirúrgica. Por outro lado, podem se útil quando os gatos apresentam outras condições que tornam outras terapêuticas impossíveis.

 

No entanto, a restrição em iodo como terapêutica a longo prazo é algo controversa pelos possíveis efeitos da restrição dietética em iodo na saúde geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Top