Hipertiroidismo Felino Quiz II

Hipertiroidismo Felino – Quiz II

powered by Typeform
46
Add
Hipertiroidismo Felino

Hipertiroidismo Felino – Quiz I

powered by Typeform
1906
Add
Hipertiroidismo felino

Hipertiroidismo Felino – Diagnóstico e Tratamento

Diagnóstico

 

A avaliação dos sintomas descritos e um exame físico completo, são os primeiros passos para a avaliação do estado de saúde do seu gato. Muitas vezes, durante o exame físico é possível palpar uma glândula tiroide aumentada típica de hipertiroidismo.

 

O diagnóstico de hipertiroidismo é feito através de análises laboratoriais que avaliam a concentração da hormona tiroideia na corrente sanguínea. Devido ao excesso de produção de hormona tiroideia, em mais de 90% das situações é possível alcançar um diagnóstico preciso.

 

A maioria dos gatos com hipertiroidismo apresenta níveis elevados da hormona tiroideia na corrente sanguínea. Contudo, uma pequena percentagem de gatos com hipertiroidismo pode apresentar valores normais.

 

Em caso de suspeita forte de hipertiroidismo, e na ausência de valores aumentados da hormona tiroideia, o seu Médico Veterinário poderá recomendar testes adicionais.

 

Devido ao papel da glândula tiróide no organismo, alguns gatos com hipertiroidismo poderão desenvolver doença cardíaca e hipertensão. Desta forma, o seu Médico Veterinário poderá aconselhar que seja feita alguma investigação para despiste destas condições. Eventualmente poderão ser necessárias terapêuticas adicionais para controlar doenças secundárias.

 

Tratamento

 

O hipertiroidismo é uma condição tratável e, dependendo do tratamento realizado, pode ser curável.

 

As opções de tratamento para o hipertiroidismo incluem o recurso a medicação, terapia com iodo radioactivo, cirurgia ou recurso a uma dieta terapêutica. A escolha do tipo de tratamento não é simples. Todas as opções de tratamento têm as suas vantagens e desvantagens. A escolha requer a consideração de algumas particularidades como a saúde geral do paciente, as características dos procedimentos terapêuticos, a capacidade e disponibilidade do tutor administrar regularmente medicação e exige também algumas considerações financeiras.

 

Medicação

 

A administração de medicação anti-tiroideia é possivelmente uma das terapêuticas mais comuns no maneio do hipertiroidismo. A medicação actua através da redução da produção e libertação de hormona tiroideia a partir da glândula tiróide.

 

A administração da medicação anti-tiroidiea não promove a cura do hipertiroidismo. No entanto permite um bom controlo da doença e dos sinais clínicos a curto e a longo-prazo. Geralmente são obtidas boas taxas de resposta à medicação, com a facilidade de se poder medicar os pacientes sem necessidade de hospitalização.

 

O recurso à medicação anti-tiroideia advém sobretudo da facilidade em obter a medicação e do seu, geralmente, custo acessível. Contudo, o tratamento com medicação implica a sua administração diária, durante toda a vida do paciente.

 

Existem diferentes formulações, desde comprimidos a soluções orais. Dada a natureza dos felinos e das muitas dificuldades dos tutores em administrar comprimidos, as soluções orais poderão ser mais convenientes e permitir melhor compliance terapêutica.

 

Independentemente do tipo medicação utilizada, é necessário manter um controlo rigoroso dos níveis da hormona tiroideia durante o tratamento. Este controlo exige assim visitas regulares ao Médico Veterinário.

 

Terapia com iodo radioactivo

 

Quando se encontra disponível, a terapia com iodo radioactivo é o tratamento de eleição para gatos com hipertiroidismo. A administração de iodo radioactivo, destrói as células anormais da glândula tiróide, sem danificar os tecidos envolventes. Na maioria das vezes, trata-se de uma única administração e a maioria dos gatos tratados com iodo radioactivo atinge valores normais de hormona tiroideia após uma ou duas semanas do tratamento.

 

Esta modalidade de tratamento permite curar o hipertiroidismo felino, e geralmente não acarreta efeitos secundários graves nem necessita de anestesia. Envolve, contudo, o manuseamento e administração de um composto radioactivo e por isso apenas é permitida em instalações licenciadas para o efeito.

 

Infelizmente, até ao momento esta terapêutica não se encontra disponível em Portugal.

 

Animais tratados com iodo radioactivo têm de permanecer hospitalizados até que os níveis de radiação atinjam valores seguros. Geralmente, implica que o gato seja hospitalizado entre três a cinco dias, contudo o período poderá ser maior.

 

Cirurgia

 

A remoção cirúrgica das glândulas tiróides, denominada tiroidectomia, é uma cirurgia relativamente acessível e com boas taxas de sucesso. A cirurgia permite uma cura, na maioria dos casos, permanente, evitando assim a necessidade de medicação a longo prazo.

 

Dado tratar-se de um procedimento cirúrgico, requer hospitalização e uma anestesia geral. Por este motivo pode não ser favorável em pacientes idosos, com doenças cardíacas, renais, ou outras que possam apresentar um risco anestésico.

 

Nestes casos, a ou terapia com iodo radioactivo são tão eficazes no tratamento do hipertiroidismo como a cirurgia. Estas alternativas têm a vantagem de serem terapêuticas menos invasivas.

 

Dieta terapêutica

 

Existe também uma dieta especificamente formulada para gatos com hipertiroidismo, baseada numa restrição de iodo. A dieta poderá ser útil em gatos exclusivamente de interior e únicos na habitação. Este tipo de dieta estabiliza os níveis da hormona tiroideia antes de uma intervenção cirúrgica. Por outro lado, podem se útil quando os gatos apresentam outras condições que tornam outras terapêuticas impossíveis.

 

No entanto, a restrição em iodo como terapêutica a longo prazo é algo controversa pelos possíveis efeitos da restrição dietética em iodo na saúde geral.

211
Add
Hipertiroidismo felino é a doença metabólica mais comum em gatos

Hipertiroidismo Felino: Causas e Sinais

O que é o Hipertiroidismo Felino?

O Hipertiroidismo é a doença endócrina mais frequente nos gatos e, como o nome indica, afeta a glândula Tiroide.

A Tiroide é composta por duas pequenas glândulas localizadas (uma de cada lado) na zona mais craneal da traqueia. A tiroide é responsável pela produção das hormonas tiroideas, que interferem em muitas das funções do organismo. O controlo do metabolismo, constitui uma das mais importantes.

De uma forma muito simplista, a tiroide é de extrema importância para o correto funcionamento da maioria dos órgãos do corpo. Nos animais com hipertiroidismo existe um excesso de hormonas tiroideas em circulação.

 

Quais são as causas principais do Hipertiroidismo felino?

Esta patologia surge normalmente devido a um aumento do volume da Tiroide (habitualmente o aumento é bilateral e afeta ambas as glândulas). Este aumento deve-se quase sempre a um tumor benigno (Adenoma), sendo muito raros (menos de 2%) os casos em que existe um tumor maligno (Carcinoma).

Atualmente não se conhece a causa exata do aparecimento deste tipo de tumores benignos. Contudo, pensa-se que alguns fatores possam contribuir, como são o caso de:

  • exposição continuada a substâncias tóxicas para a tiroide, quer ambientais (ex.: poluição; constituintes de algumas areias para gatos; tóxicos vários), quer alimentares (excesso ou deficiência de compostos presentes em alimentação comercial enlatada, bem como substâncias tóxicas)
  • alterações genéticas
  • fatores imunológicos
  • idade mais avançada

 

Porque ouvimos falar mais de hipertiroidismo hoje em dia?

Apesar de não haver uma causa concreta de hipertiroidismo, sabemos que há fatores que são decisivos para o seu aparecimento. Quanto mais tempo os animais forem expostos a esses riscos, maior a probabilidade de virem a desenvolver esta patologia. O aumento esperança de vida dos felinos é a principal razão pela qual o hipertiroidismo é mais diagnosticado nos dias de hoje. Ou seja, ao viverem durante mais anos, sofrem maior exposição a condições de risco. Vivem mais anos, havendo possibilidade de haver alterações significativas ao nível da tiroide, surgindo doença clínica.

O hipertiroidismo pode surgir tanto em machos como em fêmeas, não havendo preferência de raça. Contudo, afeta principalmente gatos de meia idade ou idosos. A idade média do aparecimento dos primeiros sintomas é 12-13 anos, sendo invulgar em gatos com menos de 10 anos.

Com o evoluir da medicina Veterinária e a crescente preocupação dos tutores com a saúde e bem-estar dos seus gatos, o diagnóstico de hipertiroidismo é mais frequente  (bem como o de outras doenças).

 

Quais os sinais que apresenta um gato com hipertiroidismo?

Como em qualquer patologia, é fundamental compreender as alterações que ocorrem num animal. Ao entender-se o que não funciona corretamente é mais fácil compreender os sintomas que surgem. Uma vez que o hipertiroidismo ocorre principalmente em gatos geriátricos, pode haver também, simultaneamente outras patologias presentes. Isto pode complicar o diagnóstico desta doença hormonal.

As hormonas tiroideias são fundamentais para o funcionamento de quase todos órgãos, e essenciais no controlo do metabolismo basal corporal. Por este motivo, ao existir um aumento destas hormonas em circulação, haverá um aumento do metabolismo basal, com aumento de consumo rápido de energia. Inicialmente os sintomas são subtis e ligeiros (comuns a muitas patologias felinas), agravando-se à medida que a doença evolui.

 

Inicialmente observam-se os seguintes sintomas:
  • perda de peso (muito ligado com o aumento do metabolismo basal) com perda de massa muscular
  • aumento do apetite
  • hiperatividade
  • aumento da ingestão de água, e por sua vez da produção de urina (fazem mais xixi)
  • pelagem sem brilho e com mau aspeto
  • aumento da tiroide (glândulas palpáveis e aumentadas)
  • alterações à auscultação cardíaca (aumento da frequência cardíaca, sopros cardíacos, arritmias- Ritmo de galope audível à auscultação)

 

Com a evolução da doença, surgem também:
  • vómitos
  • diarreia
  • doença respiratória (dificuldade respiratória, frequência respiratória aumentada, espirros e tosse)
  • alterações de comportamento (agressividade; incapacidade em descansar)
  • convulsões
  • doenças concomitantes podem surgir, uma vez que o hipertiroidismo pode predispor os gatos a outras patologias, como:

Doenças cardíacas (Hipertensão, Insuficiência cardíaca crónica, Cardiomiopatia tireotóxica)

Doença Renal

Diabetes (em gatos com hipertiroidismo, é mais difícil controlar convenientemente a diabetes)

Má absorção gastrointestinal (hipertiroidismo, pode levar a aumento da motilidade intestinal, dificultando a absorção correta dos nutrientes, assim como ao aparecimento de vómitos e diarreia)

 

Os sintomas são vários e inespecíficos, pelo que o correto diagnóstico, bem como o diferenciar de outras patologias, são fundamentais. O médico veterinário assistente deve ser sempre consultado quando se observam alterações no gato.

O hipertiroidismo é uma doença grave. Se não tratada, é normalmente fatal devido às alterações graves que causa em múltiplos órgãos vitais.

 

3761
Add