Telaziose, o verme do olho. Sabe o que é e como se previne?

112
Add

A Telaziose é uma doença provocada por um parasita de nome Thelazia callipaeda também conhecido por “larva ocular” que é transmitido pela mosca da fruta (Phortica variegata).

A Thelazia callipaeda é um verme cilíndrico de pequenas dimensões cujas larvas são depositadas pela mosca da fruta diretamente no olho do hospedeiro. As larvas adultas são visíveis, geralmente retraindo a pálpebra e caracterizam-se por serem finas e esbranquiçadas e medir entre 7 a 17 mm de comprimento.

Os machos da mosca Phortica variegata alimentam-se de secreções lacrimais e é no momento da sua alimentação que se dá o contacto com o animal hospedeiro e se depositam as pequenas larvas que evoluem e causam a Telaziose ocular.

A doença afeta principalmente cães, podendo também afetar outros mamíferos como o gato e até o Homem. A doença pode também ocorrer em animais selvagens como raposas e coelhos, funcionado como um depósito da doença e um foco de disseminação, uma vez que estes animais não são tratados nem desparasitados.

Este parasita foi inicialmente descrito na Ásia e na Europa de Leste, porém têm surgido casos por toda a Europa com tendência a aumentar não só pela maior distribuição da mosca da fruta como pelo aumento da circulação de cães de e para zonas endémicas (zonas afetadas pelo parasita).

Em Portugal este parasita apresenta uma maior prevalência em cães, mas também surge em gatos, sobretudo a norte do Tejo, nas zonas do interior. A Telaziose ocular tem sido identificada noutras espécies de hospedeiros por todo o País.

As datas em que ocorre a infeção está relacionada com a atividade da mosca da fruta, que é mais ativa entre Abril e Outubro. No entanto, há casos de telaziose ocular descritos ao longo de todo o ano porque muitas vezes a doença não é logo diagnosticada e os sinais clínicos não são logo percebidos como uma causa urgente de visita ao médico veterinário.

Os principais sinais clínicos são:

– Conjuntivite

– Inflamação das pálpebras

– Alteração das secreções lacrimais

– Inflamação e úlceras na córnea

O não tratamento dos animais doentes pode, em casos extremos, provocar cegueira.

O diagnóstico é geralmente realizado através da visualização das larvas no olho; ou através de uma recolha de uma amostra da secreção lacrimal e posterior visualização das larvas ao microscópio.

O tratamento passa pela administração de desparasitantes específicos, com ação comprovada contra a Thelazia callipaeda. De igual forma, a prevenção de infeções – sobretudo quando se habita ou se viaja para zonas endémicas, deve ser feita recorrendo a desparasitantes cujo espetro de ação abranja este parasita.

No caso desta doença a prevenção regular com desparasitantes eficazes é essencial. Os desparasitantes que ajudam a prevenir esta doença, também permitem a proteção de outros parasitas. Seguir a indicação do seu médico veterinário ajudá-lo-á a incluir desparasitantes que incluam a proteção contra esta doença no seu plano regular habitual contra os parasitas mais comuns da sua região. Desparasitar o seu cão ou gato ajudará não só o seu animal de companhia como ajudará a evitar casos de Telaziose em humanos, uma vez que é uma zoonose (doença animal transmissível ao Homem). A Telaziose ocular representa um problema de saúde pública e é da responsabilidade de todos tomar medidas que a previnam.

Fale com o seu médico veterinário sobre as medidas de prevenção mais adequadas ao seu animal de estimação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Top